MURAL EM GUANABACOA- MUSEU DA SANTERIA

SOBRE O MURAL

O desenho é uma visão panorâmica de Havana visto do outro lado da baía, ou seja, visto de quem vai de barco para Guanabacoa. No centro dessa paisagem três figuras emergem do mar, sendo que as duas figuras laterais soltam uma nuvem de fumaça que emoldura a paisagem, fazendo uma referência ao uso do tabaco tão corrente na Ilha, e largamente utilizado aos adeptos da santeria cubana e da umbanda brasileira.

A figura frontal representa o próprio adepto santeiro, metade na superfície e metade submerso nas águas, sugerindo que a totalidade da natureza humana depende da sua capacidade em adentrar as profundezas do mistério.

Arrematando a composição, dois beija-flores e dois peixes, símbolos de tradições brasileiras e cubanas. O beija-flor é um dos principais emblemas das linhas ayahuaskeiras originadas a partir do Mestre Irineu na floresta amazônica, como a Linha do Arrochim. E o peixe é o animal sagrado dos Abakua, tradição exclusiva de Cuba. Segundo sua cosmogonia, a tribo recebeu poderes de um peixe mágico, chamado Tanze. Quando o peixe morreu, os membros de sua tribo tentaram em vão reproduzir o som de seu bramido usando o tambor sagrado Ekue.

RETORNAR